Acusado de matar e esconder o corpo da ex-namorada é condenado

Douglas da Silva Conceição, de 25 anos, foi condenado por ter matado a ex-namorada em 17 de fevereiro de 2017. O julgamento do réu que aconteceu no Fórum da cidade de Astorga começou às 9h da manhã desta terça-feira (21). Depois do corpo de jurados condenar Douglas, o juiz de direito William Figueroa leu a sentença por volta de 21 horas. 

Douglas foi condenado em 13 anos e 9 meses pelo crime de feminicídio e 4 meses e 15 dias pela ocultação de cadáver. Ao todo a pena chega a 14 anos e 1 mês de prisão em regime fechado. Os advogados Gerson de Andrade Júnior e Helton da Silva ficaram satisfeitos com a quantidade da pena, mesmo assim vão recorrer na Justiça. O promotor Lucílio de Held Júnior que participou da sessão do júri pediu a condenação do réu. 

Jaqueline Valeze tinha 21 anos quando foi morta. Segundo as investigações, o réu estrangulou a jovem porque ela não aceitava o fim do relacionamento, que durou dez meses. Ele confessou o crime para o repórter André Almenara alegando que matou por ciúmes. Jaqueline deixou um filho de três anos, de outro relacionamento. O canavial onde o corpo dela foi encontrado fica em uma estrada rural de Iguaraçu. A jovem era modelo e estudava pedagogia.

Os pais de Jaqueline que acompanharam o julgamento não saíram satisfeitos com a quantidade da pena. O senhor José Marco Valeze queria que a pena empregada para Douglas fosse bem mais pesada. “Não é fácil perder uma filha da forma que perdi. Mas Deus sabe o que faz”, disse o pai inconformado. Douglas volta para a prisão na carceragem da Delegacia da Polícia Civil de Astorga.