Acusado de participar de crime de homicídio em Iguatemi é absolvido

Wesley Maikon Fernandes dos Santos, de 26 anos, foi julgado nesta quinta-feira (6) no Fórum de Maringá por ser acusado de participação em um crime de homicídio ocorrido em 6 de fevereiro de 2016 na área central do Distrito de Iguatemi. A vítima foi Diego Henrique da Silva, que na época tinha 17 anos, o conhecido Diego Sarandi.

Os advogados criminalistas Marcos Cristiani da Costa e Alexandre Toledo que pediam a absolvição do réu conseguiram convencer o corpo de jurados que Wesley Maikon não tinha culpa no crime. Depois de várias horas de julgamento, os advogados e a família do acusado receberam a notícia que o réu tinha sido absolvido.

O Ministério Público acusava Wesley Maikon e um adolescente de 17 anos de terem executado a vítima Diego Henrique. No dia do crime, Wesley estaria pilotando uma motocicleta Honda NX Falcon de cor preta quando aconteceram os disparos. O menor que estava na garupa teria efetuado os tiros.

Wesley Maikon confessou que apenas emprestou sua moto para Adriano Vieira Tampelini, mas que não sabia que sua moto seria usada para um crime.

O caso

O crime contra Diego Henrique da Silva, de 17 anos, ocorreu por volta de 3 horas da manhã no cruzamento da avenida Antonio Bortolotto com a rua São Pedro, no Jardim São Francisco. Após ser cercado pela moto, Diego foi alvejado por tiros. A vítima mesmo ferida ainda conseguiu percorrer alguns metros entrando em uma casa vazia.

Diego Henrique ficou agonizando e morreu. O pai de Diego e a namorada localizaram o rapaz nos fundos do imóvel. No dia 23 de março, o advogado Silvestre Negão, apresentou o adolescente de 17 anos que logo confessou ter matado Diego por causa do tráfico de drogas.

O autor dos disparos ainda contou em seu depoimento que o garupa da moto seria Adriano Vieira Tampelini, de 21 anos, que também foi assassinado em 2 de março dentro de um automóvel na avenida Antonio Bortolotto, no Distrito de Iguatemi.