Pai comparece no IML e identifica filho que foi morto pela PM de Maringá

O senhor Onofre Herculano Pereira, de 55 anos, foi na tarde desta segunda-feira (7) no Instituto Médico Legal de Maringá e reconheceu o corpo do rapaz que foi morto por policiais militares. O IML identificou como sendo Luis Fernando Pereira, de 20 anos, morador do Conjunto Zambaldi, em Marialva.

Luis Fernando foi flagrado dirigindo um automóvel VW Gol durante a madrugada no Conjunto Odwaldo Bueno Netto. Ele estava com mais um casal quando os policiais pediram para que o suspeito parasse o veículo. Luis Fernando não obedeceu fugindo da viatura e logo em seguida batendo contra uma árvore na Avenida Guedner.

Quando os policiais desembarcaram da viatura, o meliante deu ré e quase atropelou os soldados. A viatura foi atingida pelo Gol. Luis Fernando foi baleado e morreu no local. O casal foi detido e encaminhado para a delegacia da Polícia Civil onde foram autuados.

A PM confirmou que o carro que Luis Fernando estava em posse de um veículo que tinha sido furtado horas antes na Avenida Tuiuti. O pai do jovem precisou juntar documentos para liberar o corpo do filho do IML. Ao passar pelo plantão da 9ª SDP, o senhor Onofre falou com o repórter André Almenara.

O pai do rapaz declarou que seu filho já estava deitado quando um colega o chamou para sair. “Eu disse, meu filho, vai sair uma hora dessa”, disse o pai perguntando ao Luis Fernando. O pai ainda disse que o filho deixou a casa entrou em um carro escuro, provavelmente o Gol.

O senhor Onofre com os olhos cheios de lágrimas ainda disse que vai enterrar o terceiro filho. No ano de 2011, o dois filhos foram assassinados na cidade de Sarandi. Um foi no mês de outubro e o outro em dezembro. No final de 2017, o terceiro filho saiu de casa e não voltou mais.

O senhor Onofre ainda declarou que já passou muita tristeza na vida ao perder os filhos. ” Só eu sei o que estou passando agora. Fiz de tudo para todos meus filhos, dei educação, carinho, dei conselhos, fiz tudo que estava ao meu alcance”, disse o pai.

O pai acredita que o filho foi morto e enterrado em algum lugar ainda desconhecido já que o mesmo recebia na época ameaças de morte. Agora o quarto filho chamado Luis Carlos foi também morto pela polícia. A Delegacia de Polícia Civil de Marialva confirmou que Luis saiu da cadeia no dia 4 de outubro.

Ele estava pelo crime de receptação, mas em sua ficha criminal constava ainda os crimes de furto e roubo.