Bailarina assassinada é cremada pelos pais e familiares

A bailarina Maria Glória Poltronieri Borges, de 25 anos, a conhecida “Magô”, recebeu diversas homenagens de familiares e amigos durante seu velório que aconteceu em uma capela em frente do Cemitério Municipal. No final da tarde desta segunda-feira (27), o corpo de Maria Glória foi cremado no Cemitério Parque.

A bailarina foi encontrada morta no domingo (26) em uma propriedade particular em Mandaguari. Apuração preliminar do Instituto Médico Legal (IML) apontou que a causa da morte foi enforcamento. Os autores do crime usaram uma peça de roupa íntima da vítima para estrangular Maria Glória.

A Polícia Civil apurou que a bailarina foi deixada pela mãe ainda no sábado com a promessa que no domingo a própria mãe a buscaria no acampamento. Foi a dona Daísa Poltronieri e a filha mais nova que localizaram o corpo de Maria próximo da cachoeira Massambani.

A Polícia Civil já possuí fotos de dois homens que teriam passado pelo acampamento durante o final de semana. Os investigadores trabalham agora para identificar os dois suspeitos. O delegado Diego Almeida, da Delegacia de Homicídios, disse que o caso está sendo investigado com todo efetivo policial.

“Vamos trabalhar dia e noite para colocarmos os responsáveis da morte da bailarina na cadeia”, disse Almeida.