Rapaz acusado de cometer assassinato na virada de ano em Maringá é absolvido

Rogério Lima da Silva, de 33 anos, o vulgo ‘Ganan’, foi absolvido na tarde desta terça-feira, 26, de um crime de homicídio e de mais três tentativas de homicídio. O réu passou pelo júri popular ocorrido no Fórum de Maringá. A advogada de defesa, Luciana Volpato, pedia pela absolvição de Rogério.

O corpo de jurados entendeu que o acusado era inocente. A advogada comentou que seu cliente foi injustiçado, e que a Polícia Civil poderia ter prendido os verdadeiros atiradores que na época foram presos. ‘Estamos felizes porque a justiça foi feita nesse caso’, salientou Volpato.

O crime de homicídio no qual Rogério foi apontado culpado aconteceu nos primeiros minutos de 2018 no pátio do Estádio Willie Davids. A vítima Carlos Henrique dos Santos, de 25 anos, conhecido ‘Pikachu’, foi morto com vários tiros na cabeça e olho. Uma segunda pessoa que participava da festa da virada de ano também foi baleada.

Minutos depois, a Polícia Militar recebeu uma nova informação de que uma terceira pessoa também tinha dado entrada na UPA de Sarandi ferida por tiros. Carlos Henrique era morador do bairro Ouro Verde na cidade de Mandaguaçu.

Na época, Rogério Lima e João Paulo de Souza, de 27 anos, o vulgo ‘Dentinho’, foram presos. Testemunhas e familiares da vítima fatal teriam apontado os dois como autores do crime, e pelas outras pessoas feridas. Os dois suspeitos negaram aos policiais os crimes. João Paulo foi colocado em liberdade dias depois por falta de provas.

Carlos Henrique dos Santos era suspeito de ter matado no dia 27 de dezembro de 2017, Maicon Rodrigues de Oliveira, de 27 anos, o vulgo ‘Zoio’. Crime ocorreu na Vila Guadiana, em Mandaguaçu.